Utilizamos Cookies e tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência de acordo com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso, e ao continuar navegando você concorda com estas condições.
07/07/2021

É seguro usar dois tipos de máscaras juntas? Descubra!

Uma dúvida muito comum entre a maioria da população, em relação ao uso de máscaras para mitigar a contaminação pelo novo coronavírus, está atrelada a composição de máscaras cirúrgicas e caseiras (de pano). No intuito de aumentar o nível de proteção contra o vírus, algumas pessoas passaram a utilizar duas ou mais máscaras, além de combinar estratégias de proteção, mas será que realmente vale a pena?

Para descobrir um pouco melhor sobre a eficácia do uso de dois tipos de máscaras juntas, continue sua leitura! No post de hoje vamos esclarecer alguns pontos relacionados a esse tipo de proteção individual fundamental para manter a segurança de todos, especialmente em razão do período sensível que atravessamos nos últimos meses — até que a vacina esteja disponível para todos. Acompanhe!


Duplo mascaramento

Colocar duas máscaras ao mesmo tempo para cobrir a boca e o nariz, já que são as principais portas de entrada para o vírus, embora possa haver outras formas de contaminação, pode, segundo estudo realizado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), órgão do sistema de saúde norte-americano, minimizar o risco de transmissão da Covid-19.

Esse tipo de combinação, de acordo com os dados divulgados pela pesquisa citada, permite um melhor ajuste ao formato do rosto, minimizando assim em até 95% a exposição a partículas de secreções respiratórias que ficam presas no ar e podem, potencialmente, conter o coronavírus.

O estudo levou em consideração alguns experimentos científicos a fim de testar as melhores formas de proteção contra aerossóis, a partir do melhor ajustamento das máscaras, aplicando o modelo de pano e o modelo de máscaras cirúrgicas. Segundo os pesquisadores, esse teste utilizou um tipo específico de cada máscara. Logo, não é possível garantir a mesma eficiência de proteção ao combinar outros modelos.


Como foi feito esse estudo de comprovação da eficácia?

Em termos práticos, buscou-se observar o comportamento da proteção garantida pela máscara ao aplicar-se um nó nas alças laterais da máscara de procedimentos médicos. Em seguida, promoveu-se um ajuste adicional de modo a prender o equipamento no rosto, achatando-o para melhorar sua aderência à boca e nariz.

Em outra experiência, foi sobreposta uma máscara de pano a uma de modelo cirúrgico, também utilizado por profissionais da área da saúde, o que lhes garantiu uma resposta mais eficaz na proteção contra eventuais contaminações via aerossóis, ou seja, micropartículas suspensas no ar.

O estudo ainda concluiu que a eficiência dos níveis de proteção pode aumentar quando combinados os métodos de proteção, uma vez que gera maior adaptação ao rosto, impedindo a circulação de ar dentro e fora das máscaras. Nesse contexto, é válido ressaltar que a exposição do indivíduo em relação ao vírus pode ser reduzida em até 95% quando o receptor e a fonte são equipados com máscaras cirúrgicas sobrepostas a uma máscara de pano.


O uso de máscaras é realmente seguro contra a covid-19?

De modo geral, sabe-se que o uso de máscaras é, junto com a higienização correta das mãos, o principal método disponível para prevenção contra o coronavírus. Recomendado por diversos órgãos reguladores em todo planeta, incluindo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Esse tipo de medida de segurança contribui para a redução da exposição da população em geral (não infectada) às partículas da covid-19, minimizando assim que indivíduos contaminados, isto é, que estão com a doença em sua fase de transmissão, possam disseminar ainda mais o vírus, gerando reinfecções ou ainda que seja usada sem uso simultâneo.

Ainda de acordo com o CDC, enquanto estivermos diante de um contexto pandêmico, as máscaras devem ser aliadas também à outras medidas de biossegurança, como a higienização das mãos e o distanciamento social, haja vista que se tratam de alternativas extremamente eficazes contra a infecção por esse e outros tipos de vírus.

Mais uma prova da eficiência do uso de dois tipos de máscaras juntas é que inúmeros famosos, políticos e demais pessoas estão usando esse método com frequência, sobretudo em locais públicos, para evitar a contaminação pelo vírus.

O que achou das informações e dicas que apresentamos neste post? Se gostou e deseja manter-se atualizado sobre as principais novidades do setor de saúde e bem-estar, fique de olho em nosso Facebook, Instagram e LinkedIn!